Em linguagem clara, e-book gratuito revela dados dos campos acadêmico e profissional dos estatísticos, além da atuação do Conselho Profissional da categoria

Acaba de ser lançado o e-book “Dos estatísticos, estatísticas”, de autoria dos estatísticos Edmilson Pereira Junior, Doris Fontes e Léssio Nunes. A publicação reúne informações sobre os campos acadêmico e profissional dos estatísticos, além de apresentar a atuação do Conselho Profissional da categoria.

A obra conta com a experiência de seus autores para apresentar dados atualizados em âmbito nacional dos cursos de graduação, da inserção do profissional no mercado de trabalho, remuneração, áreas de atuação e atribuições do conselho profissional. Edmilson Pereira é Presidente do Conselho Regional de Estatística – CONRE-6 (MG/ES), Doris Fontes é Presidente do CONRE-3 (SP) e Léssio Nunes é conselheiro do CONRE-6.

A iniciativa partiu da proposta inicial de um livro de Edmilson intitulado: “Estatísticos em Minas Gerais e no Espírito Santo”, lançado em 2020. O objetivo agora era oferecer também um material de pesquisa de rigor acadêmico, mas com linguagem acessível, sobre a profissão de estatístico com abrangência nacional. Assim, o e-book é uma conversa com o leitor e passa longe da ideia de que o conteúdo é técnico e repleto de gráficos modernos e sofisticados, de difícil interpretação. Isso significa que todos os interessados em conhecer um pouco mais sobre a área de estatística e como estão os estatísticos podem se beneficiar da leitura.

Segundo Léssio, “já para estudantes, o livro exercerá o papel de nortear sua busca por aprendizado contínuo e entendimento abrangente da área. Para profissionais, o livro possibilitará a ampliação de horizontes, quer para o rol de coisas a aprender, quer no direcionamento de novas possibilidades de atuação”.

“Estudantes podem identificar mais facilmente as possíveis áreas de atuação profissional, bem como verificar as regiões ou municípios que mais possuem estatísticos. De certa forma, favorece que eles direcionem a grade de disciplinas realizadas na graduação. Para os profissionais, acredito que sirva como uma ferramenta de autoavaliação perante o mercado de trabalho. Ou seja, é possível verificar quantos atuam na mesma área, qual é o setor de maior concentração de profissionais, quais são as novas possibilidades de inserção profissional e qual é o rendimento mensal dos estatísticos”, explica Edmilson.

 

Dados interessantes

A leitura apresenta dados importantes. Mesmo com um mercado de trabalho atraente à disposição no Brasil, há pouco material de pesquisa, o que revela alguns desafios em reunir os dados.

“Por incrível que pareça, as estatísticas dos estatísticos continuam precárias e deficientes. Não é fácil encontrar dados do número de formandos por Departamento de Estatística, por exemplo. Mesmo no sistema CONFE/CONRE, o número de registrados é muito menor do que o número de formandos. Além disso, há ainda no sistema uma quantidade razoável de profissionais que obtiveram o direito ao registro mesmo sem ter o bacharelado em estatística, mas, sim, pelo provisionamento causado pela assinatura da Lei nº 4739/1965 e o Decreto nº 62497/1968. Além disso, a definição exata de quem é o ‘estatístico’ é complicada. Existe um dinamismo no mercado que uma lei de 1965 não consegue controlar”, comenta Doris.

 

Como estão os Estatísticos?

No caso dos próprios profissionais, os autores afirmam que os estatísticos saem das universidades com vantagens em relação a outros profissionais para trabalharem na área de ciência de dados, mas, muitas vezes, não têm consciência desse potencial.

“Acredito que é sempre bom reforçar essa constatação: o estatístico é o profissional que se mostra mais completo para atuar como cientista de dados! Nenhum profissional finaliza o curso superior e se torna completo para atuar no mercado de trabalho. É sempre necessário considerar a interdisciplinaridade de atuação profissional, além de levar em conta aspectos como trabalho em equipe, capacidade de comunicação e conhecimento de outro idioma. Mas voltando aos cientistas de dados, nenhuma outra formação acadêmica é capaz de oferecer mais conhecimentos sobre a área do que a Estatística”, afirma Edmilson.

“Também acredito que essa consciência ainda seja tímida para os recém egressos das universidades, mas que tende a ser mais aguçada nos próximos anos”, conta Léssio.

Nesse sentido, para os autores, a obra contribuirá para promover uma visão mais ampla de que como esse profissional pode agregar valor às instituições.

“É vital que nós, estatísticos, marquemos presença de qualidade e, com certeza, mais incisiva na defesa da profissão. Não é por medo de perdermos lugar no mercado — porque acho que isso não vai acontecer –, mas porque o mercado ainda engatinha na compreensão do que é “análise de dados”. Analisar dados logicamente não é ter um banco de dados bonitinho, é poder extrair informações valiosas dele. Senão, qual o sentido de criar/manter um banco de dados? Técnicas estatísticas são complexas e demandam maturidade profissional. O estatístico tem essa capacidade, mas muitas vezes sofre com a falta de habilidades transversais. Trabalhar com dados é um processo permanente de crescimento, seja porque há sempre técnicas novas, ou porque a área em que está trabalhando é novo para ele, ou mesmo porque é uma área em rápido desenvolvimento”, finaliza Doris.

Para baixar o e-book gratuitamente: https://tinyurl.com/ebook-EDL

 

Sobre os autores

Doris Satie M. Fontes – Formada pelo IME-USP e atua na área de Pesquisa de Mercado, mas mantém seu grande foco no trabalho voluntário junto ao Conselho Regional de Estatística da 3ª Região (CONRE-3-SP), do qual é seu atual Presidente. Desde 2004 vem desenvolvendo e mantendo projetos para divulgação, valorização e fortalecimento da profissão de Estatístico.

 

 

Edmilson Pereira Junior – É fundador da 5Thousand – Produções com base em estatísticas, Presidente do Conselho Regional de Estatística da 6ª Região (CONRE-6) e pesquisador no Grupo de Estudos Sobre Política Educacional e Trabalho Docente (Gestrado). Possui graduação em Estatística, especialização em Estudos de Criminalidade e Segurança Pública, mestrado em Sociologia e doutorado em Educação, todos realizados na Universidade Federal de Minas Gerais. No setor público, coordenou o Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão da Ouvidoria de Polícia e foi Diretor de Avaliação do Sistema de Defesa Social do Estado de Minas Gerais, desenvolvendo e gerenciando diagnósticos e pesquisas quantitativas e qualitativas.

 

Léssio Nunes – Bacharel em Estatística pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Demografia pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional – CEDEPLAR, da Faculdade de Ciências Econômicas- FACE da Universidade Federal de Minas Gerais. Doutorando em População, Territórios e Estatísticas Públicas, na Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE, vinculada ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Tem experiência em probabilidade e estatística aplicadas, métodos de previsão em séries temporais, amostragem, modelagem estatística, pesquisas eleitorais, pesquisa de opinião, pesquisa de mercado, bioestatística e metrologia. Atualmente, é Analista Executivo em Metrologia e Qualidade no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – INMETRO e Conselheiro do CONRE-6

Panorama da profissão de estatístico é apresentado em e-book gratuito