Como e onde o Estatístico pode ser essencial
– Onde o estatístico encontra oportunidade para trabalhos?
Remuneração: O Estatístico ganha bem?
– O mercado está bem aquecido, sobretudo na região de São Paulo. 
StatJobs – Oportunidade de Trabalho – anúncios no facebook   
– Grupo no Facebook compartilhando muitas ofertas de emprego.    
Anuncie aqui a sua vaga
– Utilize esse canal para divulgar a sua vaga gratuitamente. 
Consultoria em Estatística – Dicas
– Para quem busca algumas dicas para prestar consultoria estatística. 
Pesquisa Eleitoral – Dicas diversas
– Muitas informações úteis sobre a área de Pesquisas Eleitorais.     
Entrevistas/Experiências Profissionais
– Conheça a trajetória profissional de alguns de nossos estatísticos. 

 

 

O Estatístico ganha bem?

O estatístico não tem piso salarial estipulado. A entidade que deve lutar pela melhoria das condições de trabalho, seja salarial, seja no plano de carreira, é o sindicato. No nosso caso, temos apenas um operante: Sindicato dos Estatí­sticos do Município do Rio de Janeiro (SINDEST), por isso, o estado do Rio de Janeiro é o único que tem um piso estabelecido por lei. Para 2019 piso foi definido pela LEI ESTADUAL 8.315 de 19/03/2019, válida até que haja um novo texto substitutivo, e está em R$ 3.158,96 (estatístico) e R$ 1.375,01 (técnico estatístico). (essa lei não foi renovada)

Não há nenhuma pesquisa formal realizada para analisar a remuneração praticada no Brasil para o estatístico (independentemente do nome do cargo ocupado). O CAGED, por exemplo, fornece dados relativos a profissionais registrados como “Estatístico”, o que não condiz com praticamente todos os bacharéis contratados no mercado de trabalho. Há também muito receio de se fornecer o valor do salário, assim, ficamos com dados que, de alguma forma, conseguimos levantar no mercado privado.

Para melhorar a valorização de nossos profissionais no mercado de trabalho, é necessário que haja um esforço conjunto entre universidades formadoras de estatísticos, CONREs e os próprios estatísticos para que os salários sigam melhorando, realizando campanhas de divulgação e fortalecimento da nossa profissão.

Atualmente, a área que mais tem contratado na região Sudeste é Financeira ligada a grandes bancos e empresas de cartões de crédito. Mas está havendo forte crescimento nos setores de previdência e seguradoras, telefonia e indústria em geral.

Na carreira acadêmica, a remuneração normalmente acompanha a titulação/evolução dentro da universidade. Os salários iniciais para quem tem doutorado giram em torno de R$ 8.500, e o profissional encontra uma rara oportunidade para desenvolver pesquisas de importância científica.

A experiência e, muitas vezes, a exclusividade de conhecimento de alguns Estatísticos aqui no Brasil têm garantido um lugar de destaque e, muitas vezes, livre negociação de remuneração. É um grande indicativo das possibilidades de crescimento para os que ingressam neste mercado, especialmente para aqueles que continuarem seus estudos, buscarem constantes aperfeiçoamentos e atualizações na área.

FAIXAS SALARIAIS

O CONRE-3 tem realizado pequenas pesquisas informais e tem publicado para que os estatísticos possam usar como base de negociação, ou para se ter uma idéia do que encontrar no mercado de trabalho hoje.

Os valores seguem abaixo:

ESTÁGIO

  • R$ 850 a R$ 2.500 — dependendo da carga horária e cidade

TRAINEES

  • R$ 3.000 a R$ 6.500 — dependendo da empresa e cidade

JR – início de carreira

  • R$ 2.500 a R$ 5.000 — Rio de Janeiro
  • R$ 4.000 a R$ 7.000 — São Paulo
  • R$ 2.500 a R$ 5.000 — nas demais cidades

PL – cargos intermediários / gerência de projetos

  • R$ 5.000 a R$ 15.000 — São Paulo, principalmente no segmento financeiro e indústria
  • R$ 5.000 a R$ 10.000 — São Paulo nos demais segmentos ou fora de São Paulo

SR – coordenação / diretoria / supervisão de áreas

  • R$ 8.000 a R$ 30.000 — São Paulo, principalmente no segmento financeiro e indústria
  • R$ 8.000 a R$ 16.000 — São Paulo nos demais segmentos ou fora de São Paulo
  • R$ 8.000 + benefícios — órgãos do governo (principalmente federal) – as melhores posições no Governo Federal remuneram entre R$ 10.000 e R$ 15.000

PROFISSIONAIS LIBERAIS

R$120/h a R$400/h de consultoria técnica em estatística. O valor a ser cobrado deve levar em conta:
● qualificação do estatístico (anos de estudo, graus adquiridos, especializações feitas, etc)
● tempo do projeto (se for longo, reconsiderar para viabilizar a realização do projeto; se for curto, pode cobrar mais)
● complexidade do projeto (quanto mais expertise demandar, maior o valor/hora)
● o caráter de urgência (inclusão de taxa de urgência)
● qualidade e formato do material a ser trabalhado/analisado (dados já digitalizados? consistidos? amostra já fechada?)
● logística do projeto (reuniões fora? acompanhamento/supervisão/coordenação de etapas?)
● possibilidade de haver continuidade (poderá equacionar para viabilizar novas medições/análises)
● precaver-se com um contrato que prevê retrabalho por erro/solicitação do cliente
● formato final de entrega do projeto (mídias, formatos de arquivos, apresentação, publicação, etc)
● taxas e tributos (municipais, estaduais, federais, taxas de cooperativas, etc)
● custos com mão de obra contratada, caso precise de ajuda

Em Pesquisa Clínica, Centros de Bioequivalência ou outras áreas médicas, a consultoria estatística começa em torno de R$ 120-150/h, chegando a R$ 400-500/h dependendo da complexidade da pesquisa.

Para dar aulas de Estatística, vale também pensar no trabalho que vai ter para preparar o material. Em geral, a hora-aula varia de R$ 75 a R$ 350.

 

Consulte também a TABELA DE HONORÁRIOS 2020 sugerida pelo CONFE aqui.

 

 


Mais sobre a carreira de Estatístico

A coleta, interpretação, implementação e até a proteção de dados contribuem para alguns dos melhores trabalhos de 2019. E a perspectiva deve permanecer em 2020. O ranking anual do CareerCast.com, site norte-americano especializado em empregos, colocou o Estatístico no segundo lugar da lista de melhores profissões nos Estados Unidos em 2019, com salário médio anual de US$ 84,760. De acordo com a análise, a projeção de crescimento para a profissão está em 33%. O primeiro lugar ficou com o Cientista de Dados, com salário médio anual de US$ 114,520. A projeção de crescimento para a profissão está em 19%. <mais>

 

Entrevista com Doris Fontes sobre a carreira de Estatístico. <mais>

 

Descubra agora tudo sobre o curso de Estatística. Saiba também como é carreira do profissional e muito mais! <mais>

 

Todo começo de ano, eu costumo fazer um balanço para entender quais são as habilidades atuais que o mercado vem exigindo e quais são as tendências. Confesso que eu não tenho conhecimento sobre pesquisas oficiais realizadas no Brasil para profissionais que trabalham com análise de dados. <mais>

 

Criado para suprir demanda do mercado de trabalho por estatísticos, o bacharelado da USP, em São Carlos, completa dez anos <mais>.

 

A maioria das carreiras estão ligadas a área de tecnologia e engenharia. Saiba quais são elas e o que fazem esses profissionais <mais>

 

A ciência de dados é um ramo multidisciplinar, que envolve técnicas de computação, matemática aplicada, inteligência artificial, estatística e otimização, com o intuito de resolver problemas analiticamente complexos, utilizando grandes conjuntos de dados como núcleo de operação, explicou Jorge Poco, professor da FGV EMAp e coordenador do curso online de Introdução à Ciência de Dados da FGV. <mais>

 

https://respostas.sebrae.com.br/estatistico-o-que-faz/

 

 

A profissão mais sexy do século? Entenda como a Ciência de Dados promete ser uma das profissões mais importantes da nova década.

 

 

Alguns artigos mais antigos, mas que já mostravam essa estabilidade na carreira.

  • O GLOBO: Estatísticos entram em cena: carreira tem segundo melhor salário
    Puxada pelo mundo digital, profissão ocupa 6º lugar no ranking das melhores carreiras, informa Ipea

Leia mais sobre esse assunto AQUI (20/01/2013)  

  • ICMC- USP / SÃO CARLOS – Qual a probabilidade de um estatístico ficar desempregado?
    Se você respondeu que tende a zero, pode ter certeza de que sua percepção estatística está aguçada, mas poucos sabem que os estatísticos recebem a segunda melhor remuneração média do Brasil

Leia mais AQUI (03/09/2013)